Books Lifestyle

Book Review: A Sombra do Vento | The Shadow of The Wind – Carlos Ruiz Zafón


Nem sei bem por onde começar… Este livro trouxe-me vários sentimentos mistos.
Mas, antes, um pequeno resumo:  A história começa com o nosso protagonista Daniel, ainda criança, que é levado pelo pai a um lugar secreto chamado “Cemitério dos Livros Esquecidos” onde de entre todos os livros terá de escolher um para levar e prometer protegê-lo e cuidar dele. Daniel escolhe (ou o livro escolhe-o a ele) um romance de Julián Carax intitulado “A Sombra do Vento“. Depois disto é que toda a história se começa a desenrolar! Daniel é confrontado com uma série de acontecimentos dramáticos, tanto na sua vida pessoal, como devido a ter aquele livro com ele, que lhe desperta um imenso interesse, em quem é ou foi, o autor do livro que tanto estima, Júlian Carax. O que Daniel não sabe são as coisas que vai “desenterrar” por ter tido a curiosidade de saber o que aconteceu a Carax. E a sua vida, antes tranquila, deixa de o ser.

Um livro com personagens verdadeiramente bem concebidas, descrições minuciosas, momentos de “roer as unhas” e uma criatividade brutal!  Dizia antes, que este livro me trouxe sentimentos mistos porque ao início estava super entusiasmada (livro e história novos) e ali um pouco antes de meio do livro parece que a história me estava a aborrecer um bocadinho… Não sei bem porquê, mas talvez por achar que havia “descrição” a mais, ou que não passava muito dali… Não sei bem dizer porquê, a verdade é que andei a engonhar um pouco. Sei que dizem que não faz mal pausar os livros e retomares mais tarde se não estás com aquele feeling, mas não sei porquê, quis dar uma hipótese porque havia uma coisa que gostava bastante no livro: a personagem do Daniel. Acho que nunca pousei o livro por isso mesmo. O Daniel apaixonou-me! Foi até há uns 3 ou 4 dias atrás, onde passava pouco mais de meio livro, que a narrativa, a meu ver, começou a ficar deveras interessante, a ponto de ter passado uma tarde/noite inteiras de Domingo a ler (para alguns pode ser perfeitamente banal, mas para mim não é assim tão comum). Comecei literalmente a roer as unhas, por querer saber o que ia acontecer a seguir, com raiva do inspetor Fumero (personagem tão bem concebida que nos faz odiá-lo até às entranhas), com tristeza de coisas que vão acontecendo, enfim… Acabei o livro nestes 3/4 dias quando, a outra parte, tinha lido em um mês. Pode ter sido pela história, pode ter sido por não estar inspirada ou muito para ali virada no momento.
A verdade é que não sou uma leitora “experiente”. Adoro ler, mas as histórias têm de me apaixonar! Neste caso, foi a personagem do Daniel que me apaixonou e, por conseguinte, me fez apaixonar pela narrativa! Como um namoro de longa duração. Apaixonas-te pela pessoa e só depois de aceitar os seus defeitos e de viver o dia-a-dia é que a amas verdadeiramente.

Sei que este livro não é nenhuma novidade, a 1ª edição é de 2004, mas para quem nunca o leu e está à procura de ideias, acho que é um livro que vale bem a pena o vosso tempo! Por já ter alguns anos pode ser que algum amigo ou familiar vosso o tenha e assim escusam de comprar, pedindo emprestado, como foi o meu caso, recomendado pelo meu pai, no meio da sua, já significativa, biblioteca.

_

I’m not sure where to begin … This book gave me so mixed feelings.
But before that, a brief summary: The story begins with our protagonist, Daniel, still a child, who is taken by his father to a secret place called “Cemetery of Forgotten Books” where among all books he will have to choose one to take with him and promise to protect and take good care of it. Daniel chooses (or the book chooses him) a novel by Julián Carax entitled “The Shadow of the Wind“. After that, the whole story begins to unfold! Daniel is confronted with a series of dramatic events, both in his personal life and due to having that book with him, which arouses an immense interest in who is or was the author of the book, that he esteems so much, Júlio Carax. What Daniel doesn’t know are the things that he will “dig up” just because he was curious to know what happened to Carax. And his life, rather quiet before, ceases to be.

A book with truly well-designed characters, in-depth descriptions, “nail biting” moments and brutal creativity! I’ve said before that this book brought me mixed feelings because at the beginning, I was really excited (new book and story) and a little before the middle of the book it seems that the story was bothering me a little bit… I’m not sure why, but perhaps because I thought there was to much “description”, or that it didn’t go much farther… I can not say why, the truth is that I’ve been dawdle a little. I know they say it’s okay to pause the books and go back later if you don’t have that feeling for the book but, I don’t know why, I wanted to give it a chance, because there was something that I really liked about the book: Daniel’s character. I think I’ve never stoped reading the book because of that. Daniel made me fell in love! It was not until three or four days ago, after a little more than a half-book read, that the narrative, from my point of view, began to be very interesting, to the point that I had spent an entire Sunday evening reading (for some this can be perfectly normal, but for me it is not so common). I started literally biting my nails, wanting to know what was going to happen next, angry with Inspector Fumero (a character so well conceived that makes us hate him to the guts), sad things that are happening, anyway… I finished the book in these last 3 to 4 days, when the other half was read in a month. It may have been because of the story, it may have been because I was not inspired or in the mood.
The truth is, I’m not an “experienced” reader. I love reading, but the stories have make me fall in love! In this case, it was Daniel’s character who made me fall in love and therefore made me fall in love with the narrative! Like a long-term dating. You like the person in the beginning and only after accepting their faults and living the day-to-day life do you truly love them.

I know this book is nothing new, the first edition is from 2004, but for anyone who has never read it and is looking for ideas, I think it’s a book that is well worth your time! Because it’s not a new book, it might be that some friend or relative of yours can borrow it and thus you don’t have to buy, as in my case, recommended by my father, in the middle of his, already significant, library.

 

“Every book, every volume you see here, has a soul. The soul of the person who wrote it and of those who read it and lived and dreamed with it. Every time a book changes hands, every time someone runs his eyes down its pages, its spirit grows and strengthens.” 
― Carlos Ruiz Zafón, The Shadow of the Wind

 

🖤 f.


You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply